BICO DO PAPAGAIO. Ministério Público denuncia três pessoas pelo assassinato de dentista no Tocantins

Data do post: 06/05/2015 06:02:51 - Visualizações: 2273

Três homens foram denunciados pelo Ministério Público Estadual (MPE) por envolvimento na morte do dentista Klébio Pereira Guedes, em março deste ano, no extremo-norte do Tocantins. Os acusados são Manoel Fabrício Teles Pereira, Antônio Mendes Nonato e Estevão Emílio Castro. A denúncia foi encaminhada à Justiça no último dia 28. 

De acordo com as investigações, Klébio foi vítima de uma emboscada e morto após ser sequestrado. O crime, ocorrido no último dia 3 de março, foi motivado por ciúmes. Manoel é apontado no inquérito como mandante do homicídio, Antônio o executor. O assassino teria sido contratado com a ajuda de Estevão, que também participou ativamente do delito. 

Conforme consta na denúncia, Klébio foi sequestrado na casa onde morava, em Augustinópolis. De lá, os criminosos levaram o dentista dentro do carro dele até uma região de mata, próximo ao povoado Transaraguaia, em Araguatins. A vítima foi morta com três disparos de arma de fogo. O corpo dele só foi encontrado nove dias depois, em estado avançado de decomposição, às margens da BR-230. 

Depois do crime, os acusados fugiram levando o carro e o celular da vítima. No dia seguinte ao homicídio, eles venderam o veículo e o aparelho telefônico em Parauapebas (PA). O automóvel foi vendido por R$ 13 mil. 

“Foi uma investigação complexa, por se tratar de crime premeditado, em que os autores procuraram tomar medidas para camuflar a prática delitiva e dificultar o trabalho da polícia, mas tivemos uma atuação exemplar da polícia civil do Tocantins, que contou com a ajuda de policiais do Maranhão e Pará para a realização das investigações”, explicou o promotor do caso, Paulo Sérgio Ferreira de Almeida, que não tem dúvidas do envolvimento dos acusados no homicídio. 

Segundo o inquérito, Manoel mandou matar Klébio porque o dentista teve um caso com a ex-namorada do acusado. Alguns dias antes do crime, a vítima chegou a comentar com amigos que estava recebendo ameaças de morte de Pereira. 

Na denúncia, o Ministério Público pede que os acusados sejam levados ao Tribunal do Júri e que sejam condenados pelos crimes de homicídio duplamente qualificado, formação de quadrilha, furto e ocultação de cadáver.



Fonte: REDETO Foto: Reprodução