Data: 01/09/2015 14:33:44 - Visualizações: 2037 Imprimir

ARAGUAÍNA. Acusados de matar pecuarista são condenados a 14 anos de prisão, mas um deles ainda continuará em liberdade

Manoel da Guia Alves da Silva e Adeuvaldo Bernardes da Silva foram condenados pela morte do pecuarista, Ronan Araújo Filho, assassinado em 2009. Os réus foram a Júri Popular e sentenciados a 14 anos de prisão.

Foto da notícia

O julgamento aconteceu nesta segunda-feira, 31, no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil ((OAB) e Araguaína e a sentença foi anunciada por volta das 22 horas. Os dois acusados também foram condenados a pagar uma indenização de R$ 15 mil reais à família da vítima.

Um dos acusados, Manoel Silva, permanecerá em liberdade até que saia o julgamento do recurso. Já o outro réu, Adeuvaldo da Silva, permacerá encarcerado no presídio Barra da Grota onde cumpri pena por tráfico de drogas. Crime que ele praticou depois do assassinato do pecuarista.

O Crime

De acordo com a denúncia do Ministério Público Estadual (MPE), o crime aconteceu em 6 de novembro de 2009, depois que a vítima descobriu que os suspeitos, na época funcionários de Ronan, estariam furtando gados de sua fazenda. Filho foi morto em uma estrada vicinal próxima a TO-222, entre as cidades de Aragominas e Muricilândia, o pecuarista estava dentro de uma camionete e havia marcas de tiro na região da cabeça. Os acusados pelo crime trabalhavam na época, na fazenda Volta Redonda (Em Muricilândia), onde o pecuarista alugava pastos.

Ronan Filho também era Médico Veterinário, atuou como tesoureiro do Sindicato Rural de Araguaína (SRA) e foi um dos idealizadores da tradicional cavalgada da cidade.

Fonte: Portal O Norte Foto: Reprodução

Veja Também

PORTAL MOURANET 2015 - Todos os direitos reservados