Data: 27/04/2017 08:40:54 - Visualizações: 131 Imprimir

ESTADO. Três pessoas em situação análoga a de trabalho escravo são resgatadas em Sandolândia

Ação coordenada pelo Ministério do Trabalho foi realizada em duas cidades do Tocantins. Três trabalhadores em situação análoga à de trabalho escravo foram resgatados na fazenda Boa Vista, região de Sa

Foto da notícia

Em ação realizada pelo Ministério do Trabalho, em conjunto com outros órgãos, três trabalhadores em situação análoga à de trabalho escravo foram resgatados na fazenda Boa Vista, região do município de Sandolândia, no Tocantins. Os operários estavam alojados em barracos de lona, sem banheiros e sem acesso à água potável.

  

Os funcionários da fazenda trabalhavam no roçado de pastagens. Entre as atividades desenvolvidas estava o manuseio de agrotóxicos. No entanto, eles não eram capacitados para a tarefa e não utilizavam equipamentos de segurança apropriados. Essas condições incidem em risco de contaminação por defensivos agrícolas. Auditores fiscais do Trabalho verificaram que os trabalhadores não tinham carteira assinada e recebiam menos de um salário mínimo.

 

O proprietário da fazenda chegou a ser localizado na capital, Palmas. Porém, não compareceu à oitiva de lavratura dos autos de infração. Por essa razão, não foram pagas as verbas trabalhistas, como salários em atraso, rescisão contratual e multas. Em casos como este, o empregador é intimado a comparecer ao Ministério Público Federal e responder pelas irregularidades encontradas. Caso não compareça, o Ministério Público do Trabalho (MPT) poderá mover uma ação de bloqueio de bens para a quitação de dívidas e encargos trabalhistas.

 

Depois do resgate dos trabalhadores, os esforços passam a se concentrar no pagamento de verbas rescisórias e salários por todo o período trabalhado, além da regularização da situação trabalhista, como assinatura de carteira de trabalho e recolhimento de INSS e FGTS. O Ministério do Trabalho concede aos trabalhadores imediatamente um seguro-desemprego especial, no valor de um salário mínimo, pelo período de três meses.

 

Além do Ministério do Trabalho, trabalharam na ação o MPT, a Defensoria Pública da União e a Polícia Rodoviária Federal. Os trabalhos foram finalizados no último dia 20.

 

Fiscalização

 

Além da ação, que resultou no resgate dos trabalhadores, a força-tarefa fiscalizou outra propriedade em Sandolândia e uma em Aparecida do Rio Negro, ambas no estado do Tocantins. Foram encontradas irregularidades quanto ao fornecimento de equipamentos de segurança pessoal para o trato com defensivos agrícolas e para o uso de maquinário. Os proprietários das fazendas foram notificados e em contrapartida se comprometeram a oferecer melhores condições de trabalho aos funcionários.

Fonte: T1 Foto: Web

Veja Também

PORTAL MOURANET 2015 - Todos os direitos reservados