Data: 02/05/2017 08:24:12 - Visualizações: 314 Imprimir

ESTADO. Trabalhadores tocantinenses ocuparam 6.639 vagas indicadas pelo Sine em 2016

O Governo do Tocantins, por meio da Secretaria de Estado do Trabalho e Assistência Social (Setas), tem no Sistema Nacional de Emprego (Sine-TO), um dos principais pontos de suporte aos trabalhadores bem como àquelas pessoas que se encontram desempregadas. O Órgão também atende, por exemplo, quem busca o primeiro emprego e, atuando de forma proativa, prepara-os para esse início.

Foto da notícia

“Temos atuado com consistência, visando inserir todo o trabalhador que procura o Sine no mercado de trabalho”, disse o gerente de Qualificação de Palmas, Cleber Vessel, apontando que só no ano de 2016, foram capacitadas 3.140 pessoas, nos nove postos do Sine, no Tocantins.

Danillo Vieria, 19 anos, é um dos que participou de uma dessas qualificações. “Eu fiz curso de Relação Interpessoal. Aprendi muito, e passei a ter outra perspectiva de como me relacionar com os meus futuros colegas”, afirmou o estudante, que mesmo sem procurar por trabalho, compreende que a qualificação é importante.

“O governador Marcelo Miranda nos determinou que fôssemos atrás de parceiros, cursos, capacitações, recursos e o que estivesse ao nosso alcance para de fato preparar o tocantinense ao mercado de trabalho. Chegamos ao patamar de intermediar trabalhadores e empresas”, explicou a secretária de estado do Trabalho e Assistência Social, Patrícia do Amaral.

No ano de 2016, o Sine atendeu 66.132 pessoas e fez 43.370 encaminhamentos para organizações diversas. Na captação de vagas nas empresas, via telefone e no corpo a corpo, o órgão garantiu 10.482 vagas, das quais, 6.639 foram preenchidas por indicações do banco de dados de trabalhadores cadastrados no Sine.

“Apesar da crise brasileira, aos poucos o Sine tem resgatado a sua credibilidade que tinha sido perdida nos últimos anos. A nossa equipe tem ido a campo mobilizar empresários, explicar como trabalhamos, e a resposta tem sido positiva por parte das empresas”, observou Patrícia do Amaral.

Essa credibilidade resgatada pelo Sine foi conquistada principalmente, após estratégias em várias áreas, como por exemplo, filtrar o perfil de candidatos indicando ao solicitante àqueles com o perfil desejado. “As pessoas que estão no nosso banco de dados já passaram por uma avaliação com a nossa psicóloga, e pelo banco de dados é possível, a partir de agora ,ser certeiro na indicação”, disse o gerente, Cleber Vessel.

Acompanhamento

O sucesso das ações do Sine, no que tange ao mercado de trabalho, também está relacionado ao acompanhamento que ambos, instituições e trabalhadores têm. A diretora interina do Sine, Glaucia Branchina disse que, após a garantia da vaga, a equipe continua em contato com a empresa para saber se o funcionário indicado está atendendo a contento, e paralelamente, o contratado também é convidado a participar de novas capacitações. “É muito importante termos esse feedback dos dois lados. O Governo está sim, preocupado com a permanência das pessoas no mercado de trabalho, mas também com a satisfação do empresário”, observou.

Jeito de Mulher

Dentro de ações das políticas públicas para a geração de emprego e renda, pode-se destacar ainda o Projeto Jeito de Mulher, que em um ano de execução já capacitou quase 450 mulheres das cidades de Araguaína, Guaraí, Gurupi, Palmas, Paraíso do Tocantins e Porto.

O projeto nasceu com o objetivo de oferecer cursos considerados predominantemente masculinos como eletricista, mecânico de motocicleta, pedreiro, instalador predial, entre outros. “A marca do Governo do Estado foi impressa em cada cidade que chegamos com o projeto Jeito de Mulher. Nos municípios percebemos as novas oportunidades de emprego que surgiram para elas, para além do salto na melhoria da qualidade de vida das famílias atendidas pelo Projeto”, disse a secretária Patrícia do Amaral, ressaltando que para o ano de 2017, Setas e Sine já estão trabalhando ainda mais para contemplarem o maior número de pessoas e garantir a elas uma vaga no mercado de trabalho e bem como manter as que estão, por meio de qualificação e cursos ofertados pelo projeto Acreditando e Apoiando as Famílias Tocantinenses (Aafeto), por exemplo.

Fonte: Secom Foto: Web

Veja Também

PORTAL MOURANET 2015 - Todos os direitos reservados