Data: 16/05/2017 10:01:37 - Visualizações: 135 Imprimir

POLÍTICA. Marcelo Miranda institui o “Bolsa Liderança” para políticos sem mandato

Gente sem mandato, mas com votos. Esse é o perfil que preenche os requisitos, do que informalmente entre a cúpula do Palácio Araguaia, foi apelidado de “Bolsa Liderança”, que na verdade, são os cargos comissionados disponíveis na estrutura da Secretaria de Articulação Política do Governo do Estado, chefiada pelo ex-prefeito de Brasilândia, João Emídio.

Foto da notícia

A Secretaria tem por finalidade agregar políticos para alicerçar a campanha de Marcelo Miranda ao Senado Federal em 2018 e o candidato que vai sucedê-lo no governo. O Palácio entende que para Marcelo ter uma campanha tranquila, é necessário formar uma chapa competitiva. Por isso, querem o senador Vicentinho Alves (PR), como cabeça. No caso do parlamentar recuar, Cláudia vai para a disputa.

 

Desde a semana passada o Diário Oficial já vem distribuindo várias “Bolsas Lideranças”, tendo diversos contemplados como os ex-deputados Manoel Bueno e Iderval Silva, os ex-prefeitos Fransérgio e Bastim, entre outros.

Uma fonte que trabalha no Palácio, contou que a fila principalmente de ex-prefeito atrás de um “Bolsa Liderança”, tem sido grande, atrás de João Emídio e Brito Miranda, responsáveis por selecionar os contemplados.

Foram estipulados 82 “Bolsas Lideranças”, com salários de variam da classe de chefia superior (R$ 10 mil), direção superior (R$9,5 mil) e assessoramento superior (R$ 6,5 mil). Na classe intermediaria os salário possuem quatro padrões, R$ 4 mil, R$ 3 mil, R$ 2,5 mil, R$ 2 mil e R$ 1,5 mil.

Fonte: Folha do Bico Foto: Web

Veja Também

PORTAL MOURANET 2015 - Todos os direitos reservados