Data: 05/06/2017 08:29:36 - Visualizações: 200 Imprimir

TOCANTINÓPOLIS. Oficina Amamenta e Alimenta Brasil é ofertada aos municípios do Bico

Tocantinópolis sediou durante os dias 30 de maio a 2 de junho, a oficina “Amamenta e Alimenta Brasil”. Realizada por intermédio da Prefeitura e Secretaria Municipal de Saúde, a ação contou com a parceria da Secretaria de Estado da Saúde e teve como público-alvo os profissionais da Atenção Básica e da Alimentação e Nutrição dos municípios que compõem a região do Bico do Papagaio.

Foto da notícia

O curso foi ministrado pelas tutoras da Sesau, Isabela Eulalio, Jéssica Larissa e Terezinha Franco. O encontro ocorreu no auditório da Secretaria Municipal de Saúde e nas Unidades Básicas de Saúde de Tocantinópolis. Das 25 cidades biquenses, apenas os profissionais dos municípios de Ananás, Axixá, Esperantina, Maurilândia, Santa Terezinha, Sítio Novo e Tocantinópolis compareceram ao evento.

 

De acordo com Terezinha Franco, a Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil funciona como um instrumento que reforça e incentiva a promoção do aleitamento materno e da alimentação saudável para crianças menores de 2 anos, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), contribuindo para a formação de hábitos alimentares saudáveis desde a infância.

“O objetivo do curso é que esses profissionais que agora são novos tutores da Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil, implantem nas unidades básicas de saúde junto às equipes da Saúde da Família de seus respectivos municípios, mais ações voltadas para a promoção do aleitamento materno e alimentação saudável para crianças de até dois anos”, destacou Terezinha.

 

As informações evidenciadas no curso apregoam que quanto maior o número de aleitamento materno, menos a criança tende a adoecer, previne e diminui doenças, bem como a porcentagem de crianças com desnutrição. Uma criança que mama exclusivamente até o sexto mês e continua amamentando até os dois anos ou mais está sujeita a ter uma boa saúde, no entanto, se começar a ingerir alimentos industrializados, refrigerantes, balinhas, doces e leite artificiais, ocasionará em problemas de infecção, intolerâncias e alergias. Dessa forma, o leite materno continua sendo o mais indicado, sem contar que é muito mais saudável.

Além dessas informações, foram realizadas oficinas com duração de quatro horas em três unidades de saúde. Cada posto contou com cerca de trinta pessoas, sendo um total de 90 profissionais entre médicos, enfermeiros, nutricionistas, dentistas, técnicos de enfermagem, agentes comunitários e toda equipe da saúde da família, onde na ocasião, receberam capacitação de promoção do aleitamento materno e alimentação complementar saudável para crianças de até 2 anos.

Tocantinópolis tem até o momento cerca de 200 crianças avaliadas pelo Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional. Isso é preocupante, pois na maioria das vezes, o excesso de peso pode ocasionar outras doenças como hipertensão, diabetes, colesterol alto, problemas cardíacos, etc. Essa conjuntura está associada a má alimentação. Crianças que consomem muito refrigerante, doces, biscoitos recheados, dentre outros, tendem a ter complicações relativas à obesidade, realidade não somente de Tocantinópolis, mas do Tocantins e todo o Brasil.

A nutricionista Linaya Costa destaca que a ação só foi possível graças ao apoio da coordenadora da Atenção Básica, Elizângela Gomes e secretário municipal de Saúde, Jair Aguiar. “Como organizadora do evento, conseguimos trazer para o município de Tocantinópolis essa oficina com as tutoras de Palmas, a qual teve como objetivo formar novos tutores na região do Bico do Papagaio. O evento foi de grande valia porque abordou sobre a promoção e o incentivo da alimentação saudável e complementar para crianças, onde estaremos incentivando as mães a amamentarem seus filhos até os seis meses exclusivamente”, comentou.

A coordenadora de Vigilância Epidemiológica, Vandecy Soares ressalta que após o curso as novas tutoras irão ser multiplicadoras das Estratégias Amamenta e Alimenta Brasil nas unidades de saúde. “Agora somos os pilares da Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil e devemos apoiar o planejamento, o acompanhamento e fortalecimento de ações de promoção, de proteção e de apoio ao aleitamento materno e à alimentação complementar saudável nas UBS, de forma contínua, considerando a educação permanente em saúde, com base nos princípios da educação crítico-reflexiva”, explicou.

Oficina de formação de tutores

Visa qualificar profissionais de referência que serão responsáveis em disseminar a estratégia e realizar oficinas de trabalho nas suas respectivas UBS. Esses profissionais são os pilares da estratégia e devem apoiar o planejamento, o acompanhamento e/ou fortalecimento das ações de promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno e à alimentação complementar saudável nas UBS, de forma contínua.

Oficina de trabalho na UBS

Visa discutir a prática do aleitamento materno e alimentação complementar saudável com os profissionais da UBS e planejar ações de incentivo à alimentação saudável na infância, de acordo com a realidade local. Essa oficina é o ponto de partida para o desenvolvimento de ações com o objetivo de promover, proteger e apoiar a prática do aleitamento materno e alimentação complementar saudável. Como exemplo dessas discussões estão o manejo do aleitamento materno, prática da alimentação complementar, desenvolvimento infantil, Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN), entre outros.

Fonte: Folha do Bico Foto: Web

Veja Também

PORTAL MOURANET 2015 - Todos os direitos reservados