Data: 09/02/2020 13:02:32 - Visualizacoes: 469

SUL-AMERICANA. Cuidados com alimentação e sem reconhecimento do gramado: a logística do Goiás no Paraguai

Depois de empatar em 1 a 1 com o Goianésia neste sábado (8) no Estádio Hailé Pinheiro pela quinta rodada do Campeonato Goiano, o Goiás Esporte Clube muda seu foco para a Copa Sul-Americana. Sem tempo para descansar, a delegação esmeraldina embarca para Assunção, no Paraguai, às 7h deste domingo (9). A previsão é de que o Verdão desembarque às 14h na capital paraguaia.

 

Antes da viagem o supervisor de futebol do Goiás, Paulo Egídio Pinheiro, que é quem cuida de toda a logística da delegação, conversou com o repórter André Rodrigues sobre a rotina que os profissionais terão em Assunção. Entre as preocupações estão a alimentação, a segurança e também as atividades que os atletas farão antes da partida.

 

Alimentação

Segundo Paulo Egídio, os cuidados com a alimentação se iniciaram há cerca de um mês quando a nutricionista do clube, Sandra Rodrigues, entrou em contato com os responsáveis do hotel onde o Goiás ficará hospedado para repassar um cardápio específico para os atletas.

 

“A Conmebol reserva o Bourbon Hotel para os clubes, hotel de excelente qualidade e cinco estrelas. A doutora Sandra (Rodrigues) que é a nutricionista do Goiás já entrou em contato com o pessoal do hotel há mais de um mês para adequar a alimentação e oferecer o melhor para os atletas. Todo o alimento que será adquirido pelos atletas no hotel foi conferido pela doutora Sandra, o cardápio é 100% dela, os jogadores se alimentam lá só com o que ela determinou para o hotel”, explicou.

 

Segurança

Na manhã deste domingo (9) embarcam para o Paraguai 62 pessoas na delegação esmeraldina, 22 atletas e 40 integrantes do staff, da comissão técnica, departamento médico e da diretoria. Vice-presidente do Verdão, Mauro Machado já está confirmado para a viagem, o que não acontece com Hailé Pinheiro, presidente do Conselho Deliberativo. Por conta do número grande de profissionais que viajam para Assunção, o clube também se preocupou com a segurança da delegação no Paraguai.

 

“Há uma semana o nosso gestor de segurança, o coronel Luís Alberto Bites viajou para uma convenção visando a segurança da comissão técnica, dos jogadores, da nossa delegação para podermos fazer uma partida tranquila, ida e volta em segurança e que não aconteça nada de errado na viagem”, disse Paulo Egídio.

 

Reconhecimento do gramado e treinamento

Como vai desembarcar no início da tarde em Assunção, a equipe goiana fará dois treinamentos antes do duelo contra o Sol de América. O primeiro será no próprio domingo, e o segundo na manhã de segunda-feira (10). As duas atividades serão realizadas em um campo anexo ao hotel, já que a Conmebol não permite um treino no local da partida.

 

“O Goiás tentou (treinar no estádio), mas pelo regulamento nós podemos fazer um reconhecimento do gramado, e isso significa chegar, andar no gramado, olhar, mas treinar é proibido. Então nós não vamos fazer esse reconhecimento, nós preferimos treinar, foi uma opção do nosso técnico Ney Franco. Além disso, o campo que fica ao lado do nosso hotel tem excelente qualidade, então ele não terá problema nenhum para fazer a atividade com os atletas”, explicou o supervisor.

 

No entanto, mesmo com a opção de não levar aos jogadores para o Estádio Luis Alfonso Giani, Ney Franco e sua comissão irão analisar as condições do campo que será palco do jogo de terça-feira (11) às 21h30.

 

“O Ney optou por não levar os atletas para reconheceram o gramado, mas a direção, ele e a comissão técnica irão ver a condição do campo. Ele (treinador) prefere manter os atletas descansando no hotel do que leva-los para o reconhecimento. É um pena não poder treinar no local onde você vai jogar, mas faz parte do regulamento e temos que acatar. Procuramos uma outra alternativa, um campo parecido, para não terem dificuldade”, destacou Paulo Egídio.

 

*Matéria do Portal SAGRESONLINE.COM.BR

Fonte: SAGRES ONLINE FOTO: Rosiron Rodrigues/GEC

Noticias Relacionadas